DESPERDÍCIO E ESPAÇO

Sangam Vihar, localizada no limite sul de Délhi, é a maior aglomeração de 'colônias não autorizadas' da Ásia—assentamentos não planejados e não providos de serviços públicos que se proliferaram com o passar do tempo sem permissão da Delhi Development Authority. Mais de um milhão de pessoas vivem apertadas em uma área de cinco quilômetros quadrados. As 30 colônias que abrangem Sangam Vihar são demarcadas como quadras de terra agrícola pertencente às vilas adjacentes. Face à escassez maciça de habitação pública acessível na cidade, o assentamento tem se adensado continuamente desde seu início em 1979, ao absorver migrantes de toda a Índia.  

Life in Sangam ViharVida em Sangam Vihar. Crédito: FAR. 

Lugares Esquecidos
Embora Sangam Vihar tenha solicitado a regularização muitos anos atrás, ainda permanece fora do  planejamento da cidade. Isto tem duas consequências importantes para a vida de seus residentes; em primeiro lugar, torna a área muito vulnerável à evacuação da terra, pois os residentes não têm direito de propriedade de seu imóvel ; em segundo lugar,  serviços públicos como água encanada, esgoto e coleta de lixo, disponíveis a pessoas que moram na cidade, não se estenderam aos residentes de Sangam Vihar, causando uma infinidade de problemas. Estes incluem contaminação da água do solo por fossas sépticas de residências, inundação sazonal causada por canais de drenagem entupidos e o surgimento das máfias que controlam o fornecimento de água.

Sangam Vihar situa-se entre a cidade formal ao norte e o  Asola-Bhatti Wildlife Sanctuary (Santuário de Animais Selvagens Asola-Bhatti) ao sul. Como a sobrevivência dos residentes depende da cidade onde as pessoas trabalham, o santuário florestal é considerado 'os fundos' do assentamento, sendo a borda da floresta tratada como um terreno baldio. Os dejetos sólidos são enterrados lá, enchendo as piscinas de drenagem natural e os canais, e causando inundações e riscos de saúde relacionados.

Vies of settlementVista do assentamento desde o Santuário de Asola. Crédito: FAR.

Wasted land at back of settlementTerra abandonada no lado posterior do assentamento. Crédito: Akshay Srinivas.

Dois Desafios
O assentamento enfrenta dois desafios importantes atualmente. A ameaça física mais imediata é a inundação de partes de Sangam Vihar. Fortes chuvas sazonais de monção não encontram canais para drenagem devido ao aterro ilegal de lixo ao longo da borda do santuário. Além disso, a água da chuva que escoa  mistura-se a químicos tóxicos dos aterros de lixo, dando origem a problemas de saúde. O atual Plano Master de Délhi  constitui a segunda ameaça —política, e em última instância também física —à vizinhança. As autoridades de Délhi continuam a fechar os olhos para o assentamento, demarcando-o como terra florestal e agrícola, e forçando seu destino legal em um estado de limbo permanente e precário. O Plano Master também indica um terceiro anel viário a ser construído em breve para Délhi, passando pela borda sul de Sangam Vihar, o que resultaria numa pressão maior para o desenvolvimento no corredor adjacente a ela.

Masterplan by MunicipalityO novo plano preparado pela municipalidade, mostrando o futuro anel viário em relação a Sangam Vihar. Crédito: Plan by Municipality.

Duas Estratégias
Ambos os desafios identificados apontam para o importante papel que a borda verde sul pode desempenhar em encontrar solucões para os problemas enfrentados pelo assentamento. Assim, o projeto propõe duas estratégias gerais. A primeira busca transformar a borda verde, atualmente uma porção de terra negligenciada e agredida, em um espaço bem usado, que está ligado ao santurário da vida selvagem, através de uma série de intervenções. A segunda estratégia se apoia na primeira, buscando implementar medidas para proteger o ecossistema do santuário. Se o santuário da vida selvagem for reconhecido como recurso, e protegido, em vez de ser destruído, ele poderá servir como impedimento político para o desenvolvimento do futuro anel viário que ameaça invadir o assentamento.

Plan for BorderNegociações em larga escala em relação ao santuário. Crédito: FAR + Anagram.

Ferramenta (Schizo-Plan)
Em Sangam Vihar, a borda não é apenas a interface entre natureza e a cidade, mas também é uma confluência de diferentes partes urbanas interessadas—as instituições públicas responsáveis pelo bem-estar do santuário—e as comunidades sem voz que habitam o desenvolvimento. A fim de tratar desse equilíbrio desigual de poder, os arquitetos empregaram uma ferramenta inovadora de planejamento chamada o Schizo-Plan, que objetiva tratar do desequilíbrio de poder de Sangam Vihar, unindo as instituições e a comunidade em condição de igualdade.

Extrato do Manifesto Schizo-Plan. Crédito: FAR + Anagram.

 

Níve Instituição
O Schizo-Plan identifica inúmeros parceiros fundamentais que o ajudarão a assegurar o sucesso a prazo mais longo e a implementação do esquema. Estes incluem uma ecoforça-tarefa encarregada da manutenção do santuário. O plano tenta tratar dos problemas de inundação e administração do lixo, propondo medidas para lidar com o escoamento das águas da chuva, plantando suculentas que estabilizam o solo e a restauração de reservatórios de água ao longo da borda que atualmente estão contaminados com lixo.

Render to visualize interventions.Renders produzidos pela FAR/ANAGRAM ilustram soluções possíveis a serem desenvolvidas e construídas pela comunidade em áreas identificadas como críticas dentro da área limite de Sangam Vihar. Visualização da reforma da fossa que atualmente é usada como depósito de lixo. Crédito: FAR/Anagram.

 

Nível Comunitário
A maior parte do lixo em Sangam Vihar atualmente acaba sendo depositada na borda verde do assentamento. Em nível comunitário, o plano de ação para lidar com o descarte de lixo sólido inclui a concepção de intervenções e exercícios para tornar o processo de limpeza um ritual, e fazer  da separação do lixo e do descarte um jogo.

Ritualising the clean up.Visualisação: Ritualizando a limpeza: Especialmente durante a preparação para festas religiosas, a limpeza de áreas públicas é instigada pelo templo local. Este engajamento ambiciona a melhoria das condições da margem do assentamento. Crédito: FAR/Anagram.

 

Marcadores
O sucesso dessas estratégias depende de uma mudança na percepção que a comunidade tem da área de terra ao longo da borda do santuário. Embora a área esteja relativamente perto de muitas das casas em Sangam Vihar, simplesmente não é visível através do labirinto urbano. Como resultado, o lixo 'desaparece' nela, fora da vista e da mente dos residentes do assentamento. A fim de identificar sítios ecológicos críticos como tanques que têm sido cheios com lixo, e também anunciar eventos ao longo da borda da floresta, as equipes conceberam um marcador geográfico simples que seria visível ao longo do desenvolvimento e daria à borda uma presença crucial na comunidade.

O marcador Google Maps onipresente, que flutua sobre mapas virtuais, foi transformado em um balão que paira sobre a borda verde de Sangam Vihar. Esse marcador é facilmente reconhecível, particularmente entre a geração mais jovem que guarda o futuro do desenvolvimento em suas mãos. Os balões foram usados para identificar sítios e eventos ao longo da borda de Sangam Vihar que foram considerados críticos para sua recodificação. Estas pequenas intervenções constituem uma parte do Schizo-Plan que busca estabelecer a borda verde como nova frente de Sangam Vihar.

Plan: google marker.O marcador digital onipresente do Google Maps, que flutua sobre seus mapas virtuais, foi transformado em um balão físico que paira sobre a borda verde de Sangam Vihar.. Crédito: FAR + Anagram.

Teste dos balões junto à comunidade. Crédito: Ganesh Babu

Balões durante a implementação dos marcadores físicos junto à borda verde. Crédito: Asif Khan.

Google maps markerO marcador instalado. Crédito: Asif Khan.

 

 

Visão Geral
A multiplicidade de níveis em que o Schizo-Plan trata da borda verde de Sangam Vihar revela inúmeros pontos de partida possíveis para seu desenvolvimento a prazo mais longo, alguns dos quais já foram acionados. No futuro, além de mitigar ameaças ambientais, a borda também pode oferecer nova infraestrutura pública, como toaletes e salas de banho, áreas de lazer e um posto médico - instalações atraentes e muito necessárias, feitas junto com os residentes de Sangam Vihar.

 

Créditos do Projeto

Iniciativa Comunitária
CURE

Equipe de Nova Délhi
Anagram
Participantes do Escritório: Madhav Raman, Vaibhav Dimri, Akanksha Bansal, Akshay Shetty, Akshay Srinivas, Ganesh Babu e Surendra Mohite

Equipe de Berlim
FAR
Participantes do Escritório: Marc Frohn, Mario Rojas, Max Koch, Daniel Grenz e Elena Ambacher

Curador
Ludwig Engel

Coordenador Local
Nitin Bathla